Gerir Tempo

Como Aprender a Gerir o Tempo em 2017?

Acredito que gestão do tempo está muito ligado a gestão de vida. A vida não é apenas o trabalho.

Índice de Conteúdo

Como um ser social que somos, é preciso ter tempo para relacionamentos, lazer, educação, cultura, espiritualidade e muito mais.

Todas essas áreas da vida contribuirão para uma contínua e boa performance profissional.

Não adianta nada ter alta performance durante um ano e depois não conseguir manter os mesmos resultados.

Conseguir bater as metas da equipe e depois atrasar as próximas entregas.

Mantendo equilíbrio você conseguirá avançar de forma mais consistente e contínua.

Seja como os atletas de longa distância que administram bem seu passo e economizam energia para o momento mais importante: a chegada.

Vamos pensar juntos, já que não podemos criar tempo, como definir de forma racional as horas que temos.

O desafio será trabalhar no que realmente é importante.

Quando começo a atender pessoas com problemas de gestão de tempo, proponho logo de cara um pequeno exercício de levantar suas atividades diárias.

É como voltar à adolescência e criar um diário, onde o que você fez durante o dia precisa ser registrado.

Faça isso por dez dias completos, seguindo os passos abaixo:

1 – Mantenha um diário do que você está fazendo de atividades.

Não deixe passar nada, coloque o tempo gasto para se arrumar, telefonemas, e-mails, redes sociais, etc.

No trabalho, tempo em reuniões, relatórios, enfim todas as atividades desenvolvidas.

2 – Categorize as atividades, pode ser pessoal, profissional, estudo, família, casa, etc.

Tente criar essas categorias para analisar futuramente alternativas que possam reduzir o tempo gasto com elas.

Conheço pessoas que administram bem o tempo no trabalho, mas não possuem a mesma disciplina na vida pessoal.

Por isso gosto de pedir essa categorização.

3 – Priorize as atividades, olhando a lista do que é negociável e o que não é negociável.

Ou seja, vislumbre as atividades que contribuem para o alcance dos seus sonhos e projetos.

Essas são as atividades não negociáveis. As demais você pode negociar, até mesmo com seu gestor.

4 – Sumarize os dados, colocando se possível o percentual de tempo envolvido em cada categoria de atividades.

Aonde está indo o seu tempo?

Descobriu?

Simultaneamente pense nas coisas que gostaria de fazer na vida e que não são negociáveis.

Pense nos sonhos e projetos que não abrirá mão, mesmo que demore a ser concretizado.

E uma lista do que pode ser negociável, ou seja, se não for realizado tudo bem.

Não causaria uma dor ou um sentimento de perda.

Parece simples, só que não.

Saiba que às vezes ficamos mais de uma hora para chegar a essas listas em um processo de coaching.

É um importante marco para o processo, pois é com a visão de onde você quer chegar com a decisão de abrir mão de fazer algo.

Validar o que é significativo e que representa a realização do seu sonho ou projeto.

Infelizmente muitas pessoas colocam coisas importantes como negociáveis, são coisas como exercícios físicos, tempo com a família, visita ao médico e oração/meditação.

É necessário ter equilíbrio, nosso corpo precisa de repouso, cuidado e atenção.

Nos diários acabo vendo atividades como navegar nas redes sociais roubando um tempo precioso.

Isso é errado?

Lógico que não, mas será que esse tempo é importante para a concretização do seu projeto?

Se você quer ter um senso de valor do seu tempo, pense em quanto você gostaria de receber pela compra de uma hora da sua agenda.

Comece a colocar as suas atividades convertidas em valores.

A máxima de tempo é dinheiro, isso ajuda muito a entender o real valor do seu sonho.

Quando você finalizar esse exercício vai descobrir que o tempo gasto em atividades negociáveis estão roubando seu foco do que não é negociável.

Seja indo ao banco pagar contas que poderiam ser colocadas em débito em conta, seja fazendo menos socializações com os colegas de trabalho e investindo mais tempo em um relatório.

Às vezes, coisas simples podem ajudar.

Seu foco é buscar formas de melhorar suas atividades, sejam com regras simples de controle e-mail, restrição de tempo para navegação na internet, ou qualquer outra ação.

Com esse primeiro processo, sem dúvida algumas coisas ficarão visíveis para que você possa se reorganizar.

Não estou propondo você a cortar atividades, mas a reduzir o tempo investido nas atividades que não te farão alcançar seus sonhos e projetos.

Uma vida em equilíbrio começa com uma agenda em equilíbrio.

E para você gestor que ainda não fez sua tarefa de delegar, será que tudo precisa ser feito por você?

Sua equipe realmente não pode assumir algumas tarefas?

E para quem estuda, trabalha e ainda tem família, será que não tem mais ninguém na sua casa que pode ajudar?

A mudança começa por você, mas se estende a todos ao seu redor.

Mas algo é fundamental te perguntar agora, qual o objetivo de trabalhar sua agenda?

Qual o objetivo de ter uma agenda mais equilibrada?

Sem objetivo claro em mente, a tendência será autossabotagem.

Preciso reforçar que projetar o futuro e desfrutar do presente só é possível quando você assume a liderança sobre si mesmo e se torna senhor do seu tempo.

Este conteúdo foi útil?

Rolar para cima