Arte de Liderar em Tempos de Crise

A Arte de Liderar em Tempos de Crise

Você domina a arte de liderar em tempos de crise?

Índice de Conteúdo

É em tempos de crise que os verdadeiros líderes emergem, afinal, o conceito de crise é: o momento que define a evolução de uma doença (para melhor ou pior).

Crise, é uma mudança brusca ou uma alteração importante no desenvolvimento de qualquer evento/acontecimento.

Antes de mais nada, para que um líder seja eficaz, faz-se necessário a inteligência emocional para enxergar a crise como uma oportunidade e não uma ameaça.

Neste momento, um líder de excelência entende que o resultado é reflexo de suas escolhas e atitudes, afinal, se este é um processo que pode evoluir para melhor ou pior, tem-se a oportunidade de fazer o melhor gerando uma mudança positiva.

A evolução da crise pode ser benéfica ou maléfica, dependendo de fatores que podem ser tanto externos, como internos tal como uma doença, que pode, eventualmente, evoluir negativamente quando os recursos pessoais estão diminuídos.

Da mesma forma, em cenários conflitantes exige da pessoa ou de um grupo, um esforço suplementar para manter o equilíbrio/estabilidade.

Um líder em tempos de crise tem que ser excepcional e desenvolver “mecanismos de defesa”, ou seja, multiplicar ações com a finalidade de reduzir qualquer manifestação que possa colocar em perigo a integridade do grupo e da empresa.

Um líder excepcional, não tem medo de tomar atitudes arrojadas, cria processos e soluções para conflitos não resolvidos.

Na teoria psicanalítica, as bases dos mecanismos de defesa são as angústias. Quanto mais angustiados estivermos, mais fortes os mecanismos de defesa ficam ativados.

O líder excepcional capaz de liderar em tempos de crise, é incansável, não joga a toalha, tem seu “mecanismo de defesa” ativado constantemente!

É capaz de tomar as atitudes com foco nos melhores resultados.

É de extrema importância um líder com uma atitude empoderada em momentos difíceis.

A arte de liderar consiste em saber se mostrar confiável, ter entusiasmo com propósito, ser empático, transparente, coerente, autêntico, determinado, inovador, administrar suas emoções e demonstrar que seus valores essenciais são inegociáveis.

Um líder com essas características não tem apenas subordinados, mas tem um time repleto de pessoas que dão o melhor de si, que caminha lado a lado na luta pelo resultado.

Segundo o empresário americano e acadêmico William W. George : “Embora exista sempre o risco de falhar, guiar pessoas por entre um problema grave é a melhor oportunidade que terá de desenvolver a sua liderança.”.

Toda crise conduz necessariamente a um aumento da vulnerabilidade, mas nem toda crise é necessariamente um momento de risco.

Pode, eventualmente, evoluir negativamente quando os recursos pessoais estão diminuídos e a intensidade do stress vivenciado pela pessoa ultrapassa a sua capacidade de adaptação e de reação.

Mas a crise é vista, de igual modo, como uma ocasião de crescimento.

A evolução favorável de uma crise, conduz a um crescimento, à criação de novos equilíbrios, ao reforço da pessoa e da sua capacidade de reação a situações menos agradáveis.

A crise ameniza a resistência à mudança que existe quando tudo está bem, pois ela nos lança ao novo.

Um líder só é capaz de passar com louvor por momentos de crise, quando entende que, dedicar mais o seu tempo para o desenvolvimento de seus liderados, para a formação de novas lideranças e principalmente sucessores, são uma das suas funções mais importantes.

O caminho do sucesso é entender que priorizar pessoas, é construir resultados efetivos.

Um líder que prioriza apenas reuniões, processos e relatórios está fadado ao insucesso.

O líder em tempos de crise precisa ser moderno, precisa abrir-se ao processo de mentoring que já é totalmente consolidado nos EUA e em países da Europa.

Toda mudança, todo desafio e toda crise requer uma postura diferenciada, e a maneira como se lida com essas situações é que faz a diferença entre os bons líderes e os demais.

Segundo o ex-prefeito de Nova York, Rudy Giuliani: “A pessoa certa na liderança se mostra ainda melhor nos momentos mais difíceis”.

Em momentos de crise, líderes de verdade não recuam, colocam-se na linha de frente, geram soluções e inspiram os outros a gerarem também, desafiam-se e desafiam os outros a darem seu melhor, tem combustível para avançar, não produzem desculpas/justificativas e sim soluções, não são desesperadores, e sim inspiradores.

Então, caro líder, qual é o seu “mecanismo de defesa”?

Sucessos Crescentes!

Este conteúdo foi útil?

Rolar para cima