Driblar Ansiedade Meditação

Como Driblar a Ansiedade: Benefícios da Meditação

Uma das formas mais eficazes de diminuir a ansiedade é por meio da meditação.

Índice de Conteúdo

Este artigo tem o intuito de responder as seguintes perguntas:

  • Quais as evidências científicas da meditação para lidar com a ansiedade?
  • Quais os benefícios de uma adequada meditação?
  • Há possibilidade de aplicar bem a prática da meditação no contexto profissional?

Quais as evidências científicas da meditação para lidar com a ansiedade?

Os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos descobriram ao analisar 28 enfermeiras do hospital da Universidade do Novo México, que 22 delas estavam com sintomas de stress pós-traumático.

A metade que realizou duas sessões por semana de alongamento e meditação viu os níveis de cortisol baixar 67%.

A outra metade continuou com os mesmos níveis.

Em uma breve descrição neurocientífica, a meditação provoca o seguinte na atividade cerebral e do corpo humano:

  • Aumenta a atividade do córtex cingulado anterior – área do cérebro ligada à atenção e à concentração;
  • Aumento do córtex pré-frontal – parte do cérebro que está associada à coordenação motora humana;
  • Aumento do hipocampo – uma parte fundamental do cérebro responsável pelo armazenamento da memória.

A meditação também estimula o sistema límbico, especificamente a amígdala, reguladora das emoções no ser humano e, quando acionada, acelera o funcionamento do hipotálamo, responsável pela sensação de relaxamento.

Com a prática da meditação, experimenta-se um aumento na produção de endorfinas, ligadas à sensação de felicidade.

Mais ainda, segundo informa o site Meditação Transcendental, a meditação causa uma mudança na produção de hormônios como foi observada por pesquisadores do Davis Center for Mind and Brain, da Universidade da Califórnia.

Neste texto, o médico e Ph.D Gary Kaplan, neurologista da Escola de Medicina Universidade de Nova Iorque, afirma que a meditação permite à mente aquietar-se para experimentar um estado de coerência e calma interiores.

Neste momento, os hemisférios: esquerdo e direito, e as partes frontal e posterior do cérebro trabalham em harmonia entre si.

Esta coerência das ondas cerebrais tem sido correlacionada às melhorias na memória e habilidades em resolver problemas e tomar decisões.

Esta mudança no funcionamento cerebral afeta o resto da fisiologia humana, reduz a pressão arterial alta, fortalece o coração e melhora o estado geral da saúde.

Quais os benefícios de uma adequada meditação?

A partir de tudo exposto, rumo a uma busca maior dos nossos ideais e de uma conexão maior com nosso próprio propósito de vida, de forma sintética podemos dizer que a meditação e sua prática cotidiana nos oferecem os seguintes benefícios pessoais, profissionais, organizacionais e terapêuticos:

  • Redução do estresse e da ansiedade;
  • Aumento de satisfação, melhor desempenho no ambiente de trabalho e na vida;
  • Diminuição ou eliminação da insônia e da depressão;
  • Aumento de bem-estar e do encontro de uma adequada autoestima;
  • Estímulo à criatividade, desenvolvimento da inteligência e da memória;
  • Fortalecimento do sistema nervoso e do sistema imunológico;
  • Redução da pressão arterial e de dores de cabeça;
  • Diminuição ou mesmo eliminação do consumo do tabaco, do álcool e de drogas ilícitas.

Há possibilidade de bem aplicar a prática da meditação no contexto profissional?

Atualmente, sabe-se que não somente praticam as técnicas de meditação nos ambientes religiosos.

Mas, também, por exemplo, a prática da meditação transcendental: técnica baseada em mantras e respirações com ritmos alternados está sendo vivenciada em ambientes de trabalho no Ocidente!

O objetivo é aumentar o foco nos objetivos, na produtividade e na qualidade de vida do profissional e organização.

Na verdade, a vida empresarial ou organizacional é muito árdua e exigente, mormente com o(a) empreendedor(a).

Fatores externos, tais como: a concorrência, conflitos interprofissional, dificuldades financeiras podem tirar o foco do(a) empreendedor(a) de seus objetivos precípuos

Neste contexto, de forma contraditória, durante nossos dias, uma série de emoções pode nos levar a transitar a mente no passado e no futuro, devido a crenças que na maioria das vezes nos permitimos deixar influenciar.

Estas crenças ficam em nosso inconsciente e podem nos alterar de direção e sentido dos nossos essenciais e reais objetivos, percebidos nas questões, por exemplo:

  • Trabalhar duro para ganhar dinheiro (porque não trabalhar o suficiente para ser eu mesmo?);
  • Quem é bom já nasce feito (quantos filhos de ricos fazem a empresa do pai quebrar?);

O famoso psiquiatra Carl Gustav Jung explica que temos conhecimentos coletivos construídos pelo meio, um inconsciente coletivo que a todo o momento nos contaminam e nossa mente termina se confundindo entre o que realmente queremos e o que estão de alguma forma nos influenciando em fazer.

Todavia, a meditação, ainda mais quando estamos mais tempo nas organizações do que em nossos lares, entre outros, torna-se um fator crucial ou mesmo como uma alternativa de solução profícua, acalmando este conflito e fazendo com que o lado direito do cérebro, o lado criativo e intuitivo, se sobreponha aos raciocínios e alarmes que são disparados pelo lado esquerdo, o lado lógico, racional.

Propomos o seguinte exercício:

  1. Procurar um ambiente seguro, uma sala com cores claras, de preferência que poucas pessoas transitem. Em essência, o ideal é se desligar e a troca de ambiente irá ajudar.
  2. Pode utilizar recursos como de um incenso, pois o cheiro é uma forma de harmonização, assim como a utilização das cores (cromoterapia etc.). As células vibram e se harmonizam. Isso pode variar de empreendedor(a) para empreendedor(a).
  3. Colocar uma música bem lenta, se possível, músicas de meditação, com sons de floresta e de natureza.
  4. Sentar em uma cadeira confortável e colocar os dois pés no chão em paralelos com os joelhos em 90 graus. Colocar a mão direita sobre a coxa direita e a mão esquerda sobre a coxa esquerda.
  5. Fazer todo o exercício sem abrir a boca quando estiver respirando, isto é, respirar – inspirar e expirar, somente pelo nariz e com o uso do diafragma em vez do peito que em geral insufla-se.
  6. Tomar três respirações lentas e profundas. Normalizar a respiração.
  7. Fazer bem lentamente a rotação dos dois ombros para frente e depois para trás.
  8. Encostar o queixo no peito e ir girando a cabeça para o lado direito (sentido anti-horário) e depois dar três voltas girando ao contrário.
  9. Inspirar e levantar os ombros. Segurar a respiração com os ombros em cima e depois soltar o ar e soltar os ombros. Fazer três vezes.
  10. Tampar a narina esquerda e inspire pela narina direita. Tampar a narina direita e solte o ar pela narina esquerda. Continuar alternando, sempre inspirando pela mesma narina que soltou o ar. Quando se sentir mais calmo é só relaxar as mãos e normalizar a respiração

Este conteúdo foi útil?

QUER TURBINAR SUA CARREIRA?

Receba conteúdo sobre Carreira.

   

Cadastrado com Sucesso!

Rolar para cima