Empresa Financeiramente Saudável

Como Criar uma Empresa Financeiramente Saudável

Como Criar uma Empresa Financeiramente Saudável?

Índice de Conteúdo

O empreendedorismo está explodindo a nossa volta. Cada vez mais pessoas decidem pela liberdade e aventura de ser seu próprio chefe.

Se você também tem esse sonho, certamente já parou para pensar em todas as tarefas que terá de dar conta, principalmente aquelas ligadas ao planejamento financeiro da sua empresa.

Mas não desanime!

Empreender pode não ser tarefa fácil, mas seguindo alguns passos básicos no seu planejamento financeiro, você poderá enfrentar os desafios, fazer sua empresa crescer, o dinheiro se multiplicar e ainda aproveitar a vida como deseja.

Nesse artigo, vou te mostrar o Check List Financeiro do Empreendedor com sete ações que você precisa tomar para criar uma empresa financeiramente saudável.

1 – Defina o seu Modelo de Negócios

Cuidar das finanças da empresa não é só fazer contas.

Então, primeiro defina detalhadamente a base que sustentará o planejamento financeiro correto e equilibrado, levando a melhores resultados. Esse modelo de negócios deve responder às seguintes perguntas:

O que vou fazer? Ou seja, qual a proposta da empresa e meu diferencial no mercado?

Para quem vou fazer?  A ideia é definir o público consumidor e as melhores maneiras de se relacionar com ele.

E como eu vou fazer? Quais serão os meus parceiros, meus pontos de venda e minhas principais atividades?

Depois dessas definições você estará pronto para pensar nos aspectos financeiros.

2 – Defina o Investimento Inicial

A primeira análise que você precisa fazer do ponto de vista financeiro é “quanto custa abrir esse negócio?”.

Esse investimento pode incluir reformas no ponto comercial, compra de equipamentos e estoque e também o recurso necessário para operar enquanto seu negócio não dá retorno, como por exemplo, salário de funcionários e até a sua própria remuneração.

Importante: o ideal é que você poupe esse valor antes de começar seu negócio para que possa fugir de empréstimos bancários de altos juros.

Se for realmente necessário pegar um empréstimo para isso, procure linhas de crédito mais baratas, como por exemplos as fintechs online.

3 – Tenha um Capital de giro

Capital de giro é o dinheiro que fica reservado para sustentar a operação da sua empresa.

Esse valor vai ajudar, por exemplo, a sustentar o pagamento a prazo dos clientes, ou uma semana de menor volume de vendas.

Ou seja, será aquela reserva para evitar que a empresa entre no vermelho numa situação de emergência.

4 – Defina suas metas

Tenha clareza quanto aos números que você espera na sua empresa.

Quantidade de vendas, faturamento, lucro… você só conseguirá saber se a empresa está indo bem se você tiver definido claramente para onde a empresa está indo.

E muito cuidado na hora de precificar seu serviço ou produto.

É preciso ver se o preço definido irá gerar o retorno esperado. Ao pensar no preço, analise sempre se pretende vender pouco, com margem maior ou vender muito com margem menor.

5 – Separe as finanças empresarias das pessoais

Ao criar o planejamento financeiro da empresa, determine o valor do seu pró-labore (salário de sócio) e não faça retiradas extras do caixa da empresa para não comprometer o seu planejamento inicial.

Para fazer isso, será preciso colocar também suas finanças pessoais em dia.

E isso é um importante passo porque quem não sabe controlar as próprias contas terá muita dificuldade para administrar o caixa da empresa.

6 – Acompanhe suas finanças

Depois de dar o primeiro passo criando todo esse planejamento, acompanhe sempre as entradas e saídas da sua empresa.

Um grande erro de muitos que se arriscam no caminho do empreendedorismo é, na rotina de trabalho, ir deixando de lado seus controles financeiros.

Não faça isso!

Crie a sua forma simples de acompanhar todas as contas e recebimentos para que você tenha o seu orientador financeiro do dia a dia do negócio.

E o mais importante: além de registrar o que está acontecendo, registre também o que vai acontecer, ou seja, o “a receber e a pagar” da sua empresa.

Assim, você pode ver como estará a situação da sua empresa daqui a alguns meses.

7 – Tenha um orientador financeiro

Segundo a TMF Group, numa lista de 94 países, o Brasil está em segundo lugar em complexidade financeira para cumprir com obrigações contábeis e fiscais, ou seja, manter as contas das empresas em ordem e os tributos em dia por aqui é um grande desafio.

Além disso, muitos empreendedores não são da área contábil e administrativa, encontram muitas dúvidas e só procuram ajuda quando é tarde demais.

Por tudo isso, não espere a receita fiscal bater na sua porta ou a empresa ficar no vermelho para ter um bom profissional das finanças ao seu lado.

Conte com um contador de confiança para te apoiar rumo ao sucesso.

Este conteúdo foi útil?

QUER TURBINAR SUA CARREIRA?

Receba conteúdo sobre Carreira.

   

Cadastrado com Sucesso!

Rolar para cima