Empréstimo Solução ou Vilão

Empréstimo – Solução ou Vilão para as Dívidas

Na sua opinião o Empréstimo é uma solução ou um vilão para quem quer se livrar das dívidas?

Índice de Conteúdo

As dívidas são algo que ao longo dos anos, perseguem de maneira cruel uma boa parte da população brasileira.

Não há problemas em tê-las, mas sim quando elas são feitas de maneira não planejada e comprometem todo o orçamento.

Muitas pessoas saem comprando sem um planejamento prévio.

Com isso a dívida vai aumentando a cada prestação não paga ou a cada valor mínimo pago do cartão.

Os juros vão trabalhando contra você e no final se torna uma gigantesca bola de neve, que traz consigo consequências trágicas, como: 

  • Inclusão do nome nos órgãos de proteção ao crédito;
  • Baixa estima;
  • Noites mal dormidas;
  • Credores batendo na porta;
  • Até mesmo a perda do bem adquirido, como é o caso de casas e carros que na maioria das vezes vão a leilão pela falta de pagamento do comprador.

O recomendado nesse caso é você procurar relacionar todas as dívidas e tentar negociá-las junto aos credores.

Algumas vezes é possível conseguir bons descontos ou até mesmo a redução dos juros.

E quando a instituição credora não quer negociar?

Nesse caso existe uma opção, que seria pegar um empréstimo para quitar as dívidas.

Essa é uma estratégia que, se feita da maneira correta, poderá ser uma grande aliada para aqueles que perderam o controle de suas finanças.

Funciona da seguinte maneira:

Você vai até a sua instituição financeira e conversa com o seu gerente, explica para ele que o intuito desse empréstimo é para liquidação de suas dívidas.

Caso seja aceito, o banco liquida o seu valor junto aos credores e você passa a dever apenas ao banco.

São vários benefícios que essa modalidade traz:

  • Concentrar todas as dívidas em um único local; 
  • Ter um valor fixo para pagar todo mês ao invés de vários valores e datas diferentes;
  • Tão logo o banco quite suas dívidas, seu nome é limpo novamente;
  • Poder trocar uma dívida com juros altos, por outra com juros mais baixos.

Sem dúvida nenhuma o quarto benefício é o melhor de todos, pois se você tinha uma dívida com juros de 14% ao mês e trocou por uma que a taxa de juros no mesmo período é de 7%, você liquidou seus juros pela metade.

Chamamos isso de trocar sua dívida cara por uma mais barata, você reduz os juros e dá uma aliviada no bolso.

Porém, é preciso ficar atento à alguns detalhes que são de extrema importância e que se forem executados, irão influenciar de maneira positiva para o sucesso dessa negociação.

1 – Coloque no papel todas as suas dívidas

Você precisa saber quem são seus credores e os valores atualizados dessas dívidas.

Essa é a melhor maneira de você passar credibilidade na hora de conversar com o seu gerente.

2 – Organize suas dívidas em uma lista de prioridade

Muitas pessoas se confundem nesta hora.

Acham que a dívida mais importante é a mais cara, quando na verdade a prioridade precisa ser dada a dívida que cobra mais juros, como é o exemplo do cheque especial, cartão de crédito e financiamento.

3 – Pesquise outras instituições

Não feche de imediato com o seu banco.

Pesquise em outras instituições e veja se alguma delas possui uma taxa de juros menor do que a que está sendo ofertada pelo seu gerente.

Feito tudo isso, evite atrasar os pagamentos novamente, coloque ele como prioridade.

A dica que eu dou é que você faça um bom planejamento financeiro e tenha sempre seu orçamento revisado.

Essa é a única maneira de evitar que problemas como esses voltem a ser recorrente em sua vida financeira, dando a você uma qualidade de vida bem melhor na conquista dos seus sonhos.

Este conteúdo foi útil?

QUER TURBINAR SUA CARREIRA?

Receba conteúdo sobre Carreira.

   

Cadastrado com Sucesso!

Rolar para cima