Iridologia na Escolha de Carreira

Como a Iridologia Pode Ajudar na Escolha da Carreira?

Como a Iridologia pode ajudar na escolha da carreira?

Como escolher a carreira?

Qual a melhor forma de descobrir sua missão na vida?

Como conciliar o que ama fazer com o que é lucrativo?

Muitas vezes a família induz ou até mesmo impõe que o jovem siga determinada carreira para, no futuro, herdar os negócios e não romper com o legado de anos.

Se optar por atender a esse apelo (se não for do seu destino), a pessoa certamente se sentirá frustrada.

É preciso ter em mente que o exercício profissional é algo que se pratica pela maior parte da vida, portanto, precisa ser prazeroso, trazer felicidade, pois somente dessa forma se alcança sucesso e prosperidade.

Diferente do que muitos imaginam, escolher a sua profissão e qual carreira seguir, não é nenhum “bicho de sete cabeças”.

A iridologia pode ajudar e muito, nesta etapa da vida.

As íris dos olhos registram como está à saúde física, emocional, psicológica, comportamental e mental do jovem.

Elas falam do mais profundo desejo de ser e agir do individuo. Assim, elas mostram as capacidades inatas e singulares da pessoa, aquele dom que lhe é especial.

Sendo as íris únicas assim como as digitais, sua coloração e alguns dos sinais nela presentes indicam qual área profissional deve ser seguida, pois estará mais de acordo com a personalidade do jovem, onde a sua alma se sentirá plena e realizada.

Os vários “Eu” da personalidade são nove e se apresentam da seguinte maneira: o que ordena, o que ama, o que compete, o que idealiza, o que pensa, o que imagina, o que planeja, o que confronta e o que espera.

  • O “Eu” que ordena: são as pessoas com o perfil perfeccionista, organizado, sistemático, justo, disciplinado, ético, íntegro e são bastante territorialistas. Lembram a maneira de como uma formiga trabalha.
  • O “Eu” que ama: são pessoas com o perfil prestativo, amigável, atencioso, disposto a ajudar sempre, e precisam saber e sentir que o que fazem agrada aos outros. Executam bem suas tarefas em áreas em que há relacionamentos com pessoas.
  • O “Eu” que compete: é eficiente, comunicativo, competitivo, deseja o sucesso. Sua habilidade de negociação os ajuda a conseguir o querem. Necessitam trabalhar em áreas que possibilitem seu crescimento profissional.
  • O “Eu” que idealiza: é criativo, original, romântico, dramático, sensível e precisa se expressar através de sua originalidade.
  • O “Eu” que pensa: é reservado, objetivo, intelectual, analítico. Planejadores extremamente racionais.
  • O “Eu” que imagina: são pessoas organizadas, cuidadosas, comprometidas e criativas. Como tem a visão de perceber riscos e de criticar os processos, pode prevenir falhas.
  • O “Eu” que planeja: são criativos, tendem a ser humoristas, pois gostam de imprevistos e desafios, porque eles provocam sua capacidade de inventar e inovar. Têm dificuldades com normas ou pessoas rígidas e não gostam de rotina.
  • O “Eu” que confronta: trabalha em área relacionada à liderança, são confiantes e negociadores, procuram crescer sempre, usando métodos diretos e eficazes sendo desbravadores e gostam de negociação, mas sem burocracia.
  • O “Eu” que espera: se adapta às mais diversas áreas. São diplomáticos, perseverantes, calmos, interagem bem em grupos e evitam situações de briga e conflitos. Normalmente se desenvolvem bem no setor administrativo.

É fácil observar o quanto seria frustrante para uma pessoa voltada para as artes ser direcionada para seguir a carreira jurídica, por exemplo.

Todas essas personalidades que podem ser analisadas nas íris têm pontos positivos e negativos.

Se conhecer é estar em equilíbrio.

Ultrapassar os obstáculos e dificuldades é o caminho para a felicidade.

Isso faz sentido, para você?

Este conteúdo foi útil?

Rolar para cima