Mercado de Trabalho Choque de Gerações

Mercado de Trabalho e o Choque de Gerações

Como está o mercado  de trabalho e o choque de gerações?

Vivemos atualmente em um ambiente organizacional onde profissionais de diferentes gerações (baby boomers, X e Y), trabalham juntos e se relacionam diariamente.

Encontramos desde o aposentado que adiou, para após os 65 anos por diversos motivos, o “término” de sua carreira formal, ao jovem que está ingressando no mercado de trabalho e/ou assumindo cargos de liderança cada dia mais cedo e muitas vezes sem maturidade psíquica.

Cada geração com seus valores, hábitos, costumes, comportamentos e características distintas.

Essa diversidade de pensar e agir, vem causando alguns desentendimentos no relacionamento interpessoal entre as gerações mais novas e as gerações mais “velhas”.

Muitas vezes os mais experientes são acusados de serem inflexíveis e resistentes à mudança e por sua vez os mais jovens carecem de falta de foco, não sabem esperar o tempo certo para “colher” o que começaram a plantar, são imediatistas.

Não valorizam e/ou não entendem o legado construído pelos que vieram antes.

Manter esses profissionais de gerações diferentes no mesmo ambiente organizacional, principalmente quando as diferenças são maiores do que as semelhanças podem ocorrer atritos inevitáveis.

Causa desconforto, mudança de humor, estresse, sofrimento e outras doenças psíquicas, ameaçando a harmonia das equipes, a produtividade e às vezes levando o colaborador a se afastar de suas atividades.

Infelizmente têm empresas que só conseguem detectar a situação quando se instaura um conflito, pois muitas vezes é velado, não é manifestado externamente com clareza o motivo.

A situação se agrava ainda mais, quando o gestor está despreparado para liderar e/ou contornar esses impasses.

Lembrando que o líder deve ser peça fundamental para o equilíbrio entre as gerações, pois ele deverá ser o exemplo de relacionamento, de forma a influenciar a integração.

A Pesquisa da Câmara Americana de Comércio (Amcham) Brasil com 80 executivos e gestores de RH de companhias de diversos portes, mostra que as empresas têm dificuldades para gerenciar conflitos entre líderes baby boomer, X e Y…

  • 75% das empresas têm problemas de conflitos de gerações;
  • 70% ainda não têm ações para facilitar a interação entres líderes de gerações distintas;
  • 39% planejam iniciativas para melhorar o relacionamento entre esses profissionais;
  • 28% têm ações que estimulam a convivência dessas lideranças;42% acreditam que o maior desafio é integrar gestores da geração Y.

Diante dessa pesquisa, percebemos que a adaptação aos diferentes modelos comportamentais tem sido um grande desafio para as organizações.

Para minimizar e ajustar os conflitos existentes, devido às diferenças de gerações e perfis, faz-se necessário entender o comportamento e os objetivos de cada geração, de modo a traçar estratégias que estimulem cada colaborador a se comunicar com mais assertividade e entregar o seu melhor.

Criar ações interativas entre as gerações, para que possam dialogar e conhecer as reais necessidades de cada uma delas.

Entenderem que ambas são importantes para a empresa e que o relacionamento vai além de cliques e likes.

Essas ações podem acontecer através de um programa estruturado de treinamento & desenvolvimento e/ou processo de coaching.

Alinhados as políticas e estratégias da empresa, para conscientizar as lideranças e equipes da importância da interação de cada geração dentro das organizações.

Minimizar os gaps existentes entre elas, de modo a resgatar a colaboração e a convivência harmoniosa, apesar de tantas especificidades que envolvem esses relacionamentos.

Este conteúdo foi útil?

Rolar para cima