Pequeno Empreendedor – E a Independência Financeira

Pequeno Empreendedor – E a Independência Financeira

Pequeno Empreendedor, você sabe quais os passos para conquistar a independência financeira?

O Brasil é o país do empreendedorismo.

Segundo um estudo da consultoria McKinsey, o país tem 39% de sua população investindo em seu próprio negócio.

Entretanto, sabe-se que a maior parte dos empreendedores brasileiros começa nessa empreitada por necessidade de ter alguma renda e não por terem estudado o mercado e vislumbrado nele uma oportunidade de negócio.

Isso explicaria, em parte, a alta taxa de mortalidade das pequenas empresas brasileiras.

Mas por que é importante falar disso se o assunto é a independência financeira do pequeno empreendedor?

Porque é preciso seriedade ao tratar desse tema. Estamos falando do sonho de vida de muitas pessoas e da realidade onde muitas pequenas empresas estão na “U.T.I”.

Inicialmente, devemos ter em mente que empreender significa um investimento.

E de alto risco, diga-se de passagem.

Assim sendo, a melhor forma de um pequeno empreendedor alcançar sua independência financeira é através do seu maior ativo financeiro: seu próprio negócio!

E, por isso, devemos estudá-lo bem para reduzir seus riscos.

Como?

  • Estudar o mercado alvo e os concorrentes;
  • Saber se as pessoas têm interesse no produto/ serviço que você oferece;
  • Analisar se o custo-benefício do seu produto está compatível com o mercado.

Falando propriamente das finanças, segmento muito importante para qualquer negócio, uma das formas de o pequeno empreendedor conquistar sua independência financeira é organizar de forma estruturada suas finanças pessoais e empresariais.

Comece sempre conhecendo o valor do seu custo mensal. Saiba quanto você gasta com despesas fixas e variáveis por mês.

Por exemplo: habitação, luz, gás, telefone, alimentação, entre outros.

Adote uma planilha para esses gastos mensais.

Faça um controle mensal, quinzenal ou semanal. O que ficar mais fácil para seu controle.

Recomendo no início um controle em intervalo mais curtos de tempo.

No caso dos empreendedores, sempre é interessante que se aufira e monitore o lucro e os custos da atividade verificando a receita líquida do negócio (lucratividade bruta descontados os custos).

Além disso, o empreendedor deve reinvestir parte desse lucro no próprio negócio permitindo que o mesmo cresça de forma ordenada.

É muito importante que o dono do negócio o encare dessa forma: como um investimento!

Por fim, de forma objetiva, os passos para o empreendedor seguir são:

  • Conhecer bem seu negócio, seu mercado e sua concorrência;
  • Conheça seu custo de vida mensal (para pessoa física e jurídica)
  • Organize as finanças da pessoa física;
  • Reinvista parte da lucratividade do seu negócio nele mesmo;
  • Retorne ao item 1 de forma periódica objetivando a melhoria contínua.

Dessa forma, com disciplina e foco você estará fortalecendo hábitos financeiramente saudáveis para que seu negócio se torne sustentável e assim seja sua ‘ponte’ para sua independência financeira.

Sucesso!

Este conteúdo foi útil?

QUER TURBINAR SEU NEGÓCIO?

Receba conteúdo sobre Negócio.

   

Cadastrado com Sucesso!

Rolar para cima