Planejamento de Carreira

Quando Escolher a Minha Profissão?

Tem sido cada vez mais comum ouvirmos dizer que o índice de desemprego tem aumentado aceleradamente e que os jovens estão sendo os mais prejudicados, pois além de perderem o emprego, estão enfrentando muitas dificuldades para entrarem no mercado de trabalho.

De acordo com a pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em maio deste ano, a taxa de desemprego dos jovens entre 18 e 24 anos chegou a 24,1% no primeiro trimestre de 2016, sendo esta mais que o dobro da taxa geral de desemprego no período, que foi de 10,9%.

Na mesma pesquisa, o IBGE informa que a taxa de desemprego entre jovens de 14 a 17 anos é de 37,9%, compondo assim as duas taxas mais altas de desemprego por faixa etária.

Como já passamos mais um trimestre e em virtude do que temos presenciado, acreditamos que essas taxas hoje são ainda maiores.

Isso tem contribuído muito para aumentar, ainda mais, as incertezas desses jovens, que por natureza já vivenciam diversas crises internas, sendo uma delas sobre que curso de formação que devem optar e que carreira seguir.

São frequentes os questionamentos que eles fazem sobre a melhor profissão, a que dá mais dinheiro e a que faz chegar mais rápido ao topo da careira.

Recentemente, em um trabalho de orientação profissional com jovens do ensino médio e iniciando a faculdade (entre 13 e 24 anos), elencamos algumas questões que vamos compartilhar com vocês e de alguma forma tentar contribuir para diminuir esta ansiedade e angústia que vem acometendo esses jovens.

Iniciamos nossas considerações dizendo que é fundamental considerar a análise do mercado para se conhecer a realidade de cada profissão como: atividades que serão exercidas, salário, espaço de crescimento, entre outros, isto porque além de profissões já estabelecidas, temos muitas outras que estão tomando espaço, que nem sempre conhecemos e podem fazer parte do leque de opções. Além disso, conhecer esses pontos pode evitar futuras frustrações.

Abaixo 5 reflexões que você deve fazer e o que pensamos e orientamos a respeito:

  • Será que estou pronto para começar a escolher a minha profissão?

Com esta questão, você vai identificar se já está pronto para começar a pensar no assunto ou se ainda prefere fazer outras, se prefere permanecer com a mente livre sem reflexões. Você deve identificar como está seu grau de maturidade para o assunto.

  • O que será que gosto de fazer e faço bem?

Propomos que ao refletir sobre esta questão, você foque na busca por um autoconhecimento. Reflita sobre seus pontos forte e fracos, sobre as competências e habilidades que possui. Relacione todas, desde as que você identifique como as que se sobressai, quanto as que acredita que não tenha.

Para facilitar o processo, pergunte para seus pais, irmãos, namorado, namorada, amigos, o que eles acham que você faz de melhor.  Pode ser somar as contas do supermercado de cabeça ou desenhar no caderno da escola. Isso vai fazer com que você se surpreenda com as respostas que vai ouvir.

  • Quais são as disciplinas que estudo ou já estudei que identifico ter maior facilidade e além disso gosto? E quais as que não gosto ou tenho maior dificuldade?

Se questionando sobre as disciplinas você vai conseguir identificar algumas profissões que estão correlacionadas a elas e poderá identificar se tem ou não afinidade, mas lembre-se: fazer esta análise não vai dizer para você que escolhendo esta disciplina, você não terá que ver uma outra que não gosta. É importante que você conheça as disciplinas que cada curso propõe, além disso a profissão no geral.

  • Será que devo procurar um profissional que atua na área que tenho interesse?

Sem dúvida que a resposta que você deve se dar é SIM. Isso pode contribuir muito para que conheça todas as particularidades da profissão. Ouça com bastante atenção sobre cada detalhe, como: horas de trabalho, evolução da carreira, remuneração, entre outros pontos. Contudo, não se prenda a uma única pessoa, converse com as conseguiram alavancar a carreira, mas também com as que não se identificaram tanto, pois isso fará que você ouça os prós e contras da profissão escolhida.

  • Será que devo conhecer como está o mercado da profissão que escolhi?

Solucionando esta questão, você vai se deparar com a informação de como está o mercado de trabalho para a profissão de escolha.  Vai saber sobre qual é a remuneração média, qual a projeção de subir na carreira e principalmente, como está posicionada em relação a tendência, se é uma profissão em extinção ou se o futuro é promissor.  Esta análise é importante, visto que atualmente algumas profissões deixaram de existir e outras ainda nem foram nem pensadas.

Com essas questões, nossa proposta é ajudar aos jovens a encontrarem o caminho para a escolha profissional. Queremos, de alguma forma, minimizar esta crise que certamente vai passar. Porém, sabemos que não existem regras definidas para esta escolha, tudo vai depender de diversos fatores em conjunto, como ambiente familiar, oportunidades durante a formação inicial, entre outras, porém sabemos que os jovens de hoje estão sedentos por seu lugar ao sol e nós, não muito diferente deles, sedentos para que eles se realizem plenamente e possam se tornar profissionais competentes, com perfil colaborativo e empático.

Este conteúdo foi útil?

QUER TURBINAR SEU NEGÓCIO?

Receba conteúdo sobre Negócio.

   

Cadastrado com Sucesso!

Rolar para cima